quarta-feira, 31 de maio de 2017

Amamentar uma miúda de 3 anos? Isso não é normal!


Primeiro, não é nada normal que publique fotografias minhas a amamentar. A relação com o meu corpo nunca foi muito pacífica e, se nunca imaginei a amamentar uma criança (nem pensava que viesse a ser mãe), também não imaginaria que teria fotografias disso e que muito menos as publicasse na net (ou que tivesse um blog de maternidade...). 


O que me leva a fazê-lo são os comentários que muitas das mães que amamentam além dos 6 meses de leite materno em exclusivo tal como recomenda da Organização Mundial de Saúde (às vezes, esses comentários, vêm até muito antes - credo!) estão sujeitas a ouvir.

Vêm de pessoas certamente não mal intencionadas. Falam repetidamente, sem consciência do que dizem ou dos efeitos que tal comentário possa vir a ter. Também serei assim noutras áreas e ainda não sei disso.  Porém, uma das coisas em que têm razão é que "isto não é nada normal". 



Não é "normal" amamentar uma criança de 3 anos. Não, não é. Já foi. Actualmente ainda não voltou a ser. E a verdade é que da mesma maneira que ver mães a amamentar sem pudores na rua ainda choca muita gente (ou mesmo com pudores), quem amamenta há mais tempo também recebe comentários. 

Ela já fala e ainda mama? Mas já tem dentes? Isso já é sexual. Que horror. Comigo não vai ser assim. Que vício. 

Todas temos os nossos motivos para amamentar mais ou menos, para insistir mais ou menos, para querer mais ou menos, para gostar mais ou menos. Muitos desses motivos, muitas de nós, nunca saberemos realmente quais são. 


No meu caso, o que me levou a amamentar e a querer amamentar tanto (não a forço, ela gosta haha) é o querer que a Irene tenha mãe suficiente. Não quero dizer com isto que quem não amamenta não é mãe o suficiente. Será. Amamentação não é sinal de maternidade. Porém, para mim, simboliza isso. Para mim era importante e ainda é que a Irene perceba que parte do nosso amor começou e dura ainda assim. 

Não tenho pressa para o deixar de fazer e mal ela me cabe no colo. Não ofereço maminha, espero que ela me peça e temos os nossos dois momentos por dia. Quando não existem (porque já se esqueceu uma vez ou outra), fico com saudades e a vez seguinte sabe-me ainda melhor. 

É raro conseguir pegar a Irene ao colo. Este é o nosso colo. Há 3 anos. Com muitas lágrimas, muitas tristezas, muitas más fases, mas com muitas coisas boas também.

Neste momento, só boas.

De manhã, quando acorda - as duas na ronha até decidirmos acordar ou à noite, antes de adormecer - depois da história - para ir quentinha e calma. 


Não é normal, mas é natural. Ambas gostamos de momento. E planeamos continuar assim, com naturalidade. 

Publico estas fotos (porque estão muito giras e foi a Joana Hall quem as tirou) para que, apesar de não ser normal ver miúdos de 3 anos a serem amamentados, haja mais umas tantas pessoas (vocês :)) que agora viram e que assim nos possamos apoiar umas às outras, independentemente das nossas escolhas pessoais. 

É uma aprendizagem à qual me junto. 


Coisinhas giras: 

Fotografias - Joana Hall

Roupas - Little Jack Baby Clothes (óptimo para amamentar)

Colar do coração (apaixonada) e brincos - Our Sins 



Tudo o que já foi escrito sobre amamentação no blog aqui.

✩✩✩✩✩✩✩✩✩✩

Sigam-nos no instagram 
aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.
Enviem-nos um mail  à vontade. 

150 comentários:

  1. Tenho uma colega que ainda amamentava o seu filhote de 2 anos quando engravidou do segundo. Hoje amamenta os dois e acho que é uma guerreira. Eu não tive descida do leite e talvez até tenha sido minha responsabilidade mas não me recrimino por isso, até porque sei que fiz o melhor que sabia na altura. É preciso é respeitar as escolhas (conscientes ou não) de cada pessoa!! Força nisso e coragem para ouvir (ler) opiniões mais recriminatórias porque, afinal, "o mapa não é o território" e nem toda a gente tem a consciência para se aperceber disso. Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Adoro. Tem uma recordação maravilhosa em fotos! Estão fantásticas!

    ResponderEliminar
  3. O meu filho mais velho mamou até aos dois e meio. Para nós foi normal. Nunca mais bebeu leite, detesta. Já experimentámos todos...
    O mais novo não mamou tanto tempo e também foi normal :)

    ResponderEliminar
  4. Amamento os meus filhos gémeos de 19m, choca toda a gente, e toda a gente diz "já te deixavas disso", mas os filhos são meus e o corpo tb e é assim seguimos (com o apoio do marido). Meu objetivo sempre foi até aos 12m, depois achei só estupido desmamar "à bruta", agora acho que devo parar naturalmente quando eles não quiserem mais. Acredito que isso aconteça muito antes de irem para a faculdade 😂
    Eles não são viciados, hoje um deles dormiu sem mamar (o que é rarissimo acontecer mas já aconteceu outras vezes) tal como a Joana, acho que estes momentos são só nossos. Óbvio que houve dias (madrugadas) que me senti uma vaca leiteira (eu não complementava com l.a. porque o pediatra dizia que não era preciso não sou obcedada atenção, antes pelo contrário acho que cheguei até aqui por ser muito tranquila) que me apeteceu secar o leite e acabou-se a "brincadeira" mas como disse queria-a fazê-lo naturalmente sem choques para eles nem para mim (até porque não sei se terei outro filhos), se será amanhã ou daqui a um ano não sei mas não me preocupa
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Força aí! Amamentei os meus gémeos até aos dois anos e meio, um bocadinho mais, e depois fiz um desmame relativamente rápido mas eles reagiram bem. Às vezes ainda falam nisso, estão com quase 4 anos e lembram-se de mamar, mas dizem que já não mamam porque já não são bebés.

      Eliminar
  5. Peço-lhe imensa desculpa mas discordo completamente. A amamentação faz sentido enquanto permite cormatar todas as necessidades nutricionais (e nessa altura emocionais e de vinculação) com a criança. A partir de uma determinada idade (2anos em países desenvolvidos até é excessivo, mas vá...) o estabelecimento e reforço de vinculação é feito de inúmeras outras formas que não implicam a mama da mãe. Não só não é natural como não fomenta a autonomia e limites relacionais. Sinceramente, não me parece que seja adequado amamentar uma criança de 5 anos, por mais "proveitoso" que possa parecer a ambas as partes envolvidas. Só e apenas uma opinião diferente da sua.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem direito à sua opinião mas no que respeita a limites e autonomia se calhar devia informar se melhor. Está bastante enganado e fala do que não sabe.

      Eliminar
    2. Discordo completamente com o seu comentário. A própria organização mundial de saude recomenda a amamentação ate aos 24 meses, pelo menos, não referindo diferenças entre paises desenvolvidos e não desenvolvidos. Honestamente casa familia encontra o seu caminho e se não tenho o direito de criticar quem não amamenta também ninguém tem o direito de criticar quem o faz. Por vamos em 21 meses de amamentação, 6 dos quais estando grávida. Não sei quando terminará ou sequer se amamentarei dois. Apenas sei que durará enquanto nos sentirmos bem com isso. Para ti Joana, os meus parabéns. Neste aspecto és uma inspiração. Sei bem que no inicio nao é facil, que ha fases mais complicadas,mas n tenho dúvidas de que é o melhor para os nossos bebés!
      A

      Eliminar
    3. Fundamentada a partir de que estudos?

      Eliminar
    4. Todos os mamiferos alimentam os bebes a mamar ate terem os dentes definitivos.. Os humanos serao assim tao diferentes??

      Eliminar
    5. Sugiro a leitura do artigo : http://e-carina.blogspot.pt/2017/03/ate-quando-me-deixam-mamar-por-dra.html?m=1

      Eliminar
    6. Sugiro a leitura http://e-carina.blogspot.pt/2017/03/ate-quando-me-deixam-mamar-por-dra.html?m=1 :)

      Eliminar
    7. Escreveu tanta asneira baseada em que? Nas pesquisas dos seus "achusmado" lol
      Atraso mental essa preocupação com a mama dos outros, o filho dos outros...

      Eliminar
    8. Tem de ler mais sobre o assunto http://kellymom.com/ages/older-infant/ebf-benefits/

      Eliminar
    9. Não é verdade que todos os mamíferos alimentem as suas crias até terem os dentes definitivos.o desmame em cães e gatos ocorre naturalmente entre o 1 e os 2meses. Antes dos 3 meses as cadelas já não deixam os cachorros mamar. A dentição definitiva dos cães começa a aparecer aos 4 meses. Nos gatos a mesma coisa.

      Eliminar
    10. Os dentes definitivos nascem com 3 anos? Hum... não me parece. O leite materno o alimento / vínculo mais natural do mundo e porque não o aproveitar!? O problema desta sociedade é precisamente basear.se em demasiados estudos, diz que diz, países desenvolvidos, etc... realmente dar l.a. é muito melhor sim.... E deve também haver estudos a dizer isso, ou Não! Parabéns Joana por não ligar a tudo o que especula e fazer o que o seu instinto e coração diz...afinal, é isso que importa. Um beijinho

      Eliminar
    11. A amamentação tem a ver com colmatar necessidades nutricionais e emocionais também. Da mesma forma que ninguém aponta o dedo à mãe que não quis dar de mamar ou que parou aos 6 meses porque não gostou ou porque simplesmente não quis mais, também ninguém tem o direito de criticar quem queira continuar a colmatar essas necessidades emociais com o seu filho.
      Dar de mamar não tem nada de sexual. Tendo a criança 1 dia ou 3 anos. Cada mãe cuida do seu. Parece-me simples.

      Eliminar
    12. "Da mesma forma que ninguém aponta o dedo à mãe que não quis dar de mamar ou que parou aos 6 meses porque não gostou ou porque simplesmente não quis mais" - anónima das 13:09, deve andar a viver debaixo de uma pedra para nunca ter ouvido/lido as pedradas das fundamentalistas das mamas...estão em todo o lado, até nos cursos de preparação para o parto.

      Eliminar
    13. Não me levem a mal mas a meu ver nem e preciso basear em estudos para isto nao ser normal. 3 anos?? E eu amamentei em exclusivo ate aos seis meses mas ainda antes de ela completar um ano parei por opção própria. Acho que acima de tudo somos mulheres e apesar de amar a minha filha mais que tudo nao vivo so como mae. Ela tem a sua independência e eu tenho a minha e nao nos amamos menos por causa disso. Nos tambem precisamos de ter o nosso corpo de volta e os nossos maridos tambem. Nunca vou achar isso normal, mas como tudo e so a minha opiniao

      Eliminar
    14. Eu conheço pelo menos duas senhoras que amamentaram os seus filhos ate à entrada na escola primária. No nosso país isto é muito estranho, mas a amamentação deve ser feita enquanto mãe e filho/a assim o desejarem. Parabéns às mães que mesmo ouvindo toda a gente a criticar fazem o que a sua consciência lhes diz que é mais correcto.

      Eliminar
  6. Não vejo problema nenhum em ainda dar de mamar à criança. Pelo que vejo de pediatras e por aí fora falar, todos dizem que as propriedades do leite materno são bastante benéficas para a criança. O problema aqui é que a Joana em momento algum fala desse ponto importantissimo da amamentação. A Joana fala apenas de "No meu caso, o que me levou a amamentar e a querer amamentar tanto (...) é o querer que a Irene tenha mãe suficiente." / "Para mim era importante e ainda é que a Irene perceba que parte do nosso amor começou e dura ainda assim.". Ou seja, pelo que escreve, a Joana demonstra que amamenta por si e pela sensação de ligação à sua filha que isso lhe dá. E a cereja no topo deste bolo que são as suas necessidades, a Joana ainda diz "Quando não existem (...), fico com saudades e a vez seguinte sabe-me ainda melhor.". Parece-me que neste momento é a Joana que precisa de amamentar em vez de ser a criança a precisar e acima disso - e pelo que escreve - a Joana fá-lo pelos pressupostos errados.

    Já perguntou a um profissional na área da psicologia se este comportamento (sublinho que não estou a falar de amamentar uma criança com três anos, mas sim o amamentar pelas razões que escreveu) será saudável quer para si como para a menina?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Está tudo tranquilo, obrigada :) Mentiria se dissesse que a minha principal motivação para amamentar são os benefícios para a saúde dela, não são. Gosto e ela também.

      Até poderia fazer sentido a sua observação, mas não lhe ofereço maminha, como lhe disse. :)

      Obrigada e beijinhos

      Eliminar
    2. Precisamente por os benefícios para a saúde da menina nem sequer serem a sua principal motivação é que devia procurar - e sem qualquer tipo de tabus - ajuda especializada na área da psicologia porque pode estar a fomentar um tipo de vinculo que já vai além do que seria desejável e saudável numa relação mãe-filha.
      Sou Médica de Medicina Geral e não Psicóloga, pelo que a minha opinião pessoal e profissional vale o que vale.
      Marília Campos

      Eliminar
    3. Não percebo como o vínculo "vai além do que seria desejável". Isso mede-se? Também sou médica e discordo completamente da sua opinião. Na natureza, sem os constrangimentos da mãe que regressa ao trabalho, da mãe que dá biberão, da mãe que é pressionada por terceiros, etc, o desmame natural dá-se algures entre os 2 e os 5 anos. Sim, porque como em todas as espécies de mamíferos, o desmame acontece sem ser preciso forçá-lo (há focas que amamentam 3 dias e a idade normal de desmame de algumas espécies de gorilas é os 7 anos). A cria pede, a progenitora dá. A JG nem força, como descreve. A cria esquece-se, pede menos, a progenitora dá menos, diminui a produção, desce o interesse... e o desmame é suave e sem traumas.

      Eliminar
    4. Com tanto ressabiamento manifestado em relação a este tema, se calhar quem escreveu estes comentários é que deveria pedir apoio psicológico... A verdade, é que os comentários contra a amamentação vêm muitas vezes de "alguns" profissionais de saúde, o que é manifestamente assustador... Assinado: 19 meses de amamentação Felizes (a continuar), cerca de 20 vezes por dia (não sei, nunca contei... - vício, sim, mas dos bons!) Parabéns Joana :)

      Eliminar
    5. Dos comentários depreciativos, este é o único que pode ter alguma razão de ser. Não me batam já, que sou super pró-amamentação até à idade que for.

      Conto o meu exemplo: Tinha a minha filha 3 meses, separei-me. Ela, que sempre gostou muito de mama, ficou ainda mais sedenta (e não, não era um pico). De muitas das coisas que li, o livro "A Maternidade e o encontro com a propria sombra" deram-me algumas luzes de que esse apego à maminha podia ser mais por minha causa do que por causa dela mesma. Ie, ela, ao sentir-me triste e desamparada, quis ser o meu amparo e confortar-me como sabia.

      Um exemplo dado no livro é o de uma mãe que quer fazer o desmame mas o filho é mt agarrado a ela e à maminha. Depois de algumas sessões (a escritora é psicoterapeuta) a mãe percebe que não se deixa ajudar, que tem um défice de apoio na vida dela e que o filho ao mamar está a tentar preencher esse vazio e ser o apoio de que a mãe precisa. Mas não é essa a função do filho, tal como não é a função dele mamar eternamente. Então faz sentido que a mãe trabalhe a sua parte emocional e a sua rede de apoio para que não tenha de ser o bebe a fazer esse papel. Isto não bate 100% com a minha história, mas em parte, certamente não baterá 100% com a da Joana, mas pode ter algum fundo de verdade?

      Não faço ideia se é o caso da Joana ou não. Nem tenho de saber! Mas na realidade os nossos desejos e frustrações reflectem-se nos nossos filhos - o que não tem mal nenhum -, mas podemos sempre tentar perceber melhor o que está por trás. Não para deixar de dar de mamar, mas para nos conhecermos e não estarmos a sobrecarregar os nossos filhos com os nossos medos e angústias.

      Só acho que há mais por trás do que se vê, mas isto também é válido para quem não amamenta, não gosta de amamentar, adora e só quer ter outro filho para isso... enfim, para cada mãe haverá um background diferente :) qual é o mal de reflectir sobre as nossas vivências e o que queremos para os nossos filhos?

      Eliminar
    6. Mil palmas a este comentário, sensato e bem informado. E em nenhum momento ofensivo, ao contrário das respostas ao mesmo. Amamentar uma criança de 3 anos? Tudo bem, força, não era para mim, mas o leite materno é comprovadamente um bom alimento para os pequenos. Agora, por necessidade de vinculação? Por vício (como a própria descreve, quando a menina se esquece, tem saudades)? Vício da mãe e não da filha...Não me parece saudável do ponto de vista da saúde mental. Concordo que deveria perguntar a psicólogo/pedopsiquiatra. Era o que eu faria.

      Eliminar
    7. O comentário não tem nada haver com amamentação. Tem haver sim com o que a própria Joana admite: principal motivação para amamentar não são os benefícios para a saúde da Irene: "No meu caso, o que me levou a amamentar e a querer amamentar tanto (não a forço, ela gosta haha) é o querer que a Irene tenha mãe suficiente."
      É incontornável que a amamentação é o ideal (eu amamentei até quase aos 2 anos da minha filha) e em nenhuma parte do comentário diz o contrário... Triste é fazer do tema amamentação um campo batalha. Há comentários contra a amamentação como certamente haverá contra quem não amamenta... Assim como iremos sempre levar com comentários sobre a educação, sobre a alimentação, etc... Mas por acaso este comentário não é contra a amamentação e é uma pena que, concordando ou não com o mesmo, não se consiga perceber isso.

      Eliminar
    8. Anónonimo das 10:48, é mesmo isso..

      Eliminar
    9. Claro anónimo das 11:32 - o comentário não tem nada a ver com amamentação, nem com alimentação que é a função PRIMORDIAL da amamentação. Não me venham cá dizer que quem amamenta tem mais vínculo com os filhos do que quem não o faz, que me passo já!! O comentário original, que está muito correcto (não sou a comentadora) tem a ver com as relações que mantemos com os nossos filhos e a forma de nos sentirmos ligados a eles, que não passa necessariamente pela mama. Nada contra, cada um sabe de si, mas amamentação não é sinónimo de vínculo! que a filha tem "mãe suficiente"??!! "mãe suficiente"?? Que merda é essa? Então uma mãe, como a Joana e tantas outras, que enche a filha de atenções, de beijos e abraços, que se desdobra em mil para passar mais tempo com ela, e tempo de qualidade, como é bem visível aqui no blog, não tem "mãe suficiente" se não mamar? Desculpem-me a franqueza, mas parece-me doentio. Acho, sim, que a Joana beneficiaria de uma opinião especializada sobre isso.

      Eliminar
    10. É isto. Nada contra nem a favor da amamentação alheia mas este post fala muito mais das fragilidades da JG enquanto mulher adulta do que de mamas. E acho que ela sabe.

      Eliminar
    11. Aqui o "mãe suficiente" é uma expressão que não é passível de ser entendida por ninguém que não eu mesma. Foi "mal jogado", mas não consigo pensar tudo o que escrevo, senão deixo de escrever :)

      Eliminar
    12. Joana, sou a anónima das 11:56, desculpe mas acho que é muito bem passível de ser entendida, metade do que dizemos está dito nas entrelinhas e a Joana já deixou as suas claras, sem entrar em pormenores, mas já todos percebemos que vem da sua história e sabe, as pessoas que se identificam e até já terão sentido algo semelhante percebem muito bem o que quer dizer com isso de "mãe suficiente" e continuam a achar que é absolutamente sem sentido, sobretudo tendo em conta a mãe que a Joana (talvez por causa dessa mesma história) procura e consegue ser, mamas à parte. Afinal isto não tinha mesmo nada a ver com amamentação, hein? Continuo a achar, ainda por cima depois dessa sua resposta, que existe aí um desequilíbrio (de auto-estima, de amor próprio) que não quer que a sua filha sinta nunca e por isso procura segurar as pontas todas. Mas newsflash: 1. a dada altura da vida a Irene vai ter esses sentimentos, como toda a gente e não é a mama (nem a mamã) que a vai impedir, eles ganham asas para voar; 2. a Joana não vai conseguir segurar as pontas todas, e isso não faz mal, nem deve ser um foco de ansiedade para si. Porque percebo que o seja e conheço essa inimiga que é a ansiedade e acho que todos estes sentimentos que transparecem do post e das suas respostas têm a ver com isso (e é normal que a sinta, considerando a fase de mudança gigante que está a viver - os ansiosos odeiam mudanças, não é?), aconselho-a mesmo a procurar uma opinião sobre estes assuntos. Eu sei que o faria. Tudo de bom.

      Eliminar
  7. Joana! :)
    Diretamente de Abu Dhabi, obrigada! Às vezes dá-me vontade de desistir... não por mim! Mas por essas pessoas que não percebem, não nos percebem ... a minha bebe tem 10 meses ( ainda falta muito para chegar aos 3 ) mas espero conseguir :)
    Beijinhos nossos e continua ! És uma fonte de motivação

    ResponderEliminar
  8. A sexualidade como funciona?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi???! Como assim?

      Eliminar
    2. O que tem de ver?! Maioria das mulheres em Portugal nao amamentam e nao sao sex bombs (Desculpem!)

      Eliminar
    3. Não funciona, não vê que se separou?

      Eliminar
    4. Vc é só uma prova de ignorância de uam sociedade, como pode ter um cérebro tão pequenino?

      Eliminar
  9. Amamentei a minha primeira filha até aos 18 meses e fiquei bem triste quando ela já não quis mais mamar. Se ela quisesse dava-lhe de mamar até aos 2 anos (só não daria mais porque tinha muita vontade de voltar a engravidar). Entretanto tive a segunda que ainda mama (tem 10 meses) e mamará enquanto entender, seja por dois ou três anos.
    Estas fotos são muito bonitas. Apesar de não ter grande coragem de publicar fotos a amamentar, admiro bastante quem o faz e ajuda outras mulheres a sentirem-se bem (que outra forma poderia existir?) a amamentar enquanto quiserem.

    ResponderEliminar
  10. Não costumo comentar este blog. É a primeira vez que o faço, só porque esta 'coisa' da amamentação também me tira do sério. Sou mãe de segunda viagem e se há coisa que me tira do sério são os bitaites sobre amamentação. Com 5 meses, já me sugeriram deixar de lhe dar mama, para ele dormir melhor; dar-lhe muita água, porque leite dá sede; acabar com a amamentação porque ele não está saciado; ou acabar com a mama para ele não ficar com o 'vício' da mama. Estou cansada de ouvir comentários, mas já nem reajo. Darei enquanto ele quiser. A primeira só quis mamar um ano. Veremos. Mas não serei eu a fechar-lhe a porta. Força Joana (e já agora, adoro o seu estilo de escrita!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Patrícia, força aí... Também ouvi muitos comentários! Entraram a 100 saíram a 200! Sou Mãe de um menino, portanto não tenho "segundas" viagens mas, em todo o meu tempo de experiência, sempre segui o meu instinto, ponto final!
      E uma Mãe, na maior parte das vezes, sabe sempre o que é melhor para o seu filho!
      5 mesinhos ainda é muito pequenino para deixar a mama! Dê, dê muita até ele não querer mais ou a Patrícia ficar cansada, porque isso também conta, claro!

      Eliminar
  11. Por aqui contamos com 2 anos e 3 meses de amamentação, infelizmente comentários (de todo o género) é o que mais ouço, mas enquanto a maminha é o conforto da minha filha sinto que estou a fazer o meu papel de mãe da Alice.
    Estou aqui a dar-lhe colinho e maminha até ela pedir. E esperar que o desmame seja o mais natural possível <3

    ResponderEliminar
  12. Estamos juntas JG 😊 Por aqui também quase 3 anos a amamentar e neste momento grávida de 29 semanas. Espero que a amamentação em tandem diminua os ciúmes e crie uma ligação entre os dois.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E que o marido continue sem fazer nada em casa, alheio ao freak show em que a sua família se tornou, já agora.

      Eliminar
  13. Amamentei o meu filho até aos 3 anos e meio.
    Sentia que tanto para mim como para ele ,era o nosso "miminho", um momento só nosso de muito amor.

    ResponderEliminar
  14. Tão bom! 10 meses por aqui e para continuar ❤

    ResponderEliminar
  15. Amamentar até aos 3 é normal, anormal é as pessoas considerarem o leite de vaca melhor que o LM.
    Por cá tb estamos a caminho dos 3 e enquanto ele quiser ade ser.

    Parabéns pela atitude. Quanto aos comentários é deixar andar...

    ResponderEliminar
  16. Pois a mim faz-me confusão :) Mas cada um faz como entende, acho que no fundo todas as pessoas têm sempre de opinar sobre os filhos dos outros como se fossem verdades absolutas. Mamas e sono, parece que todos sabem melhor do que nós :) aha
    Anónima Catarina

    ResponderEliminar
  17. Adoreiii! Pois eu amamentei os meus dois filhos até quase aos três anos. Também ouvi alguns comentários infelizes, " ai, tanto tempo a dar maminha, isso já é vício, com esse tamanho a mamar...". Não me importei, fiz o que entendi. Absurdo é a quantidade de antibióticos que a crianças tomam, hoje em dia. Bem haja.

    ResponderEliminar
  18. Eu amamentei o D até 2 e dois meses. É maravilhoso. Somos umas sortudas por termos leite para o fazer. Deixei por opção. Sentia-me muito cansada porque o meu filho acordava a meio da noite para mamar! Também ouvi muitos comentários.... Mas acho q devemos ignorá-los! Como fazêmos com tudo que é insignificante :)

    ResponderEliminar
  19. Finalmente encontro alguém que pensa o mesmo do que eu! Amamentei a minha Leonor até aos 3anos e 8 meses!! Até que ela entrou na pré escola e deixou naturalmente de procurar... Estou grata pelo tempo que trocamos aqueles olhares, carinhoso, miminhos, sei que dei o meu melhor e faria tudo exatamente da mesma maneira. E claro tb ouvi todo o tipo de opiniões, mas o mais importante é o que pensamos, sentimos e queremos. O resto não é importante... Parabéns e continue a fazer o que achar melhor para si e para a princesa 😙

    ResponderEliminar
  20. 2 filhos com 11 meses de diferença. Paragem com gravidez na amamentação da 1ª, retoma com o nascimento do 2º. Mamaram até aos 3 e 4 anos. Morderam, chucharam, puxaram e trincaram. Formidável. hoje com mais um de 8 meses os mais velhos de vez em quando ainda cá vêm. Mas organizados: Primeiro o Bebé depois um de cada vez, pois o bebe fica oom fofinha. Amamentar até quando? Até haver e até quererem. Se vier outro espero que também seja assim. Sim são cabrinhas a dar marradas. Sorrateiramente deitam-se na cama, puxam e mamam. Os mais velhos até perguntam um ao outro se querem e ... cedem.. A mamoca, desde que esteja em casa, está quase sempre cá fora, Mas é bom, Venha Já outro
    E Ainda....

    Quando engravidei pela 2ª vez, a Carlota (com 4 meses) ainda mamava, rejeitou o leite mas nunca lhe tirei a mama. Biberão e depois mamminha. até ela querer. Até porque passado pouco tempo começaram os dentinhos e era sempre um momento de satisfação e de alivio e sossego para ela. Mais complicado foi quando nasceu o Tomás e aí a Carlota voltou a querer mamar mesmo. Assustei-me. Ela tinha 11 meses. E mamou. e mama hoje já com 4 anos e o Tomás com 3, e ainda o Tiago com 8 meses.
    Ontem ri-me com o marido. Após escrever o meu comentário anterior e mais ou menos depois das 18 H, o Bebe mamou e a outra mamoca era: ora a Carlota ora o Tomás. Para mim foi um alivio. Pois e andámos nisto mais de uma hora. Sim é verdade tenho, felizmente muito, muito leite, Mas também com esta estimulação, quem não tem?
    Tirar a mama aos mais velhos? (sim porque mordem e acham piada) Não sei. O Papá deles mamou até aos 6 anos, altura em que foi para a escolinha. Sim é vicio de mama e depois? Amamentem e amamentem enquanto tiverem, Quando não tiverem não desesperem. Se se sentirem confortáveis com a mama na boca do bebe e ele gostar façam-no.
    A partir de Março está aberta novamente a porta para o 4º filho. E se tiver que amamentar 4 vou fazê-lo. Eles gostam, o pai ama e eu Adoro
    A 1ª hora de regresso a casa após trabalho, creches e infantário é de mamoca à mostra. Bebe primeiro e depois seguem-se os mais velhos. É uma hora tão nossa. Brincadeira, banhos, jantar, brincadeira, mamoca e soninho quase sempre noite inteira e desde sempre.
    O pai adora...
    Querem melhor? Presta? Não sei... e è até que eles desistam. Se o Pediatra sabe dos mais velhos? Não sei. E custou tanto, muito doloroso com muitas lágrimas. iniciar este processo
    Esta resposta escrevia-a em Janeiro, num blog do género, Hoje repito-a, porque se encontra atual e porque estou novamente grávida de 14 semanas ainda.
    Mas também agora ninguém quer a maminha o Tiago diz que”no pesta”. A mais velha ( 4 anos) ainda vai tentando, mas desiste, O Tomás (3 anos) olha para a irmã e para o irmão e pergunta: Há maminha mamã? Experimenta, digo-lhe eu. Experimenta e diz. Não, não há o Tiaguinho comeu tudo. O Bebe para dormir, à noite, chupa, brinca e morde
    Quando chegar a Catarina vamos ver como corre.
    Sinto saudades. Aproveitem

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O papá mamou até aos 6 anos e, se calhar, ainda mama hoje em dia lol.

      Pelo relato que faz, deviam ir todos para o Júlio de Matos: mamã, papá, Tomás, Carlota, Tiago e Catarina (coitada, ainda nem chegou e tem isto à sua espera, ninguém merece).

      Eliminar
    2. M-E-D-O muito medo mesmo!

      Eliminar
    3. tudo neste comentario é medonho

      Eliminar
    4. "Morderam, chucharam, puxaram e trincaram. Formidável." - parece-me formidável, de facto...

      "sim são cabrinhas a dar marradas. Sorrateiramente deitam-se na cama, puxam e mamam. Os mais velhos até perguntam um ao outro se querem e ... cedem.. A mamoca, desde que esteja em casa, está quase sempre cá fora" - National Geographic, têm aqui uma reportagem.

      "o pai ama, o pai adora" - o pai de certeza que também mama! medo!

      "O Bebe [que já não mama] para dormir, à noite, chupa, brinca e morde" - juro que estou agoniada.

      Há pessoas que, sinceramente, não são boas da cabeça. Dar mama é alimentar, gente!! Até pode ser uma forma prazerosa de o fazer, mas quando deixou de ser para alimentar deixa de fazer sentido...que medo.

      Eliminar
    5. Muito medo mesmo... realmente o melhor às vezes é nem sabermos o que se passa por aí!

      Eliminar
    6. Já me ri para a semana inteira. Só para não chorar mesmo.

      Eliminar
    7. Oh senhora, está a gozar não está? Por favor internem estes pais e salvem as crianças.

      Eliminar
    8. O sonho desta senhora será amamentar uma equipa de futebol, treinador incluído....

      Eliminar
    9. Meu Deus..alguém escreveu mesmo isto? Ou pior, alguém vive mesmo assim????

      Eliminar
    10. Parabéns!! Faz realmente falta mais testemunhos e exemplos de mães como esta e como a Joana Gama. A amamentação é algo normal da vida familiar, que deve existir enquanto fizer sentido para a familia, preferivelmente se for construtivo para todos os envolvidos. Familia linda, comentário lindo, que deveria apenas ter respostas positivas. Infelizmente, talvez a emancipaçao feminina fez com que se estranhassem estas historias familiares. A minha mãe ainda conta de se lembrar da minha tia ir buscar um banquinho de madeira para a minha avó lhe dar de mamar, e a minha avó teve todos os filhos com 4 anos de diferença. Amamentou vários sinultâneamente. Mas estamos a falar de um portugal sem diferente, mentalidades diferentes, e propagandas comerciais agressivas inexistentes. Vamos deixar os complexos de lado, libertar ideias préconceituosas, sem fundamento. Nem o leite materno , nem o acto de amamentar tem nada de prejudicial, aliás pelo contrário. Sou cam, gravida do segundo filho com um desmame recente, que se não for invertido após o nascimento do irmao, espero conseguir retirar leite e fazer papas para o mais velho com ele, e assim dar-lhe anticorpos que serão muito uteis para combater as viroses da creche. Mais uma vez Parabéns!!!!

      Eliminar
    11. Cada um com a sua história! Parabéns pela sinceridade!

      Eliminar
    12. Não resisto! Espero que sobre mama para o pai, já gora!

      Eliminar
    13. Jesussss que isto parece tirado de um excerto de um qualquer documentário sobre cabrinhas e vaquinhas da BBC vida selvagem...... tanto psicólogo no desemprego com tanto/a alucinado/a por aí... ler determinados comentários é melhor que ir ao standup...............

      Eliminar
    14. Cambada de anormais ignorantes! Perguntem às vossas mães como foi?!! A que custo, e com que sacrifícios foram criados, amamentados! De certeza que a maioria teve historia de vida igual, de inicio de vida igual! Mas há 30, 40 anos atrás era uma obrigação amamentar, criar, sacrificar-se pelos filhos, sacrificar carreiras e vontades, ficar em casa, e preparar para o mundo estes anormais. Homens e mulheres, que hoje em dia acham tudo "horrível", " não é para mim", "era o que mais faltava". Informem-se, atualizem-se!
      "O ser humano é o único mamífero que bebe leite após o desmame"
      Grande Joana,PARABENS PELA CORAGEM

      Eliminar
    15. Adoro essa justificação de "o ser humano é o único mamífero que bebe leite após o desmame".

      E então? Também somos o único mamífero que cozinha as suas refeições, que toma vacinas, que trabalha, que se apaixona, que sente prazer, etc... por algum motivo somos animais racionais e nos distinguimos dos demais.

      Eliminar
    16. Sim, realmente!!! Nós somos os únicos mamíferos que bebem leite porque os outros não conseguem ir ao supermercado comprá-lo! Os cães e gatos adultos lambem-se todos com um leitinho de vaca!.. também somos os únicos mamíferos que comem pacotes de bolachinhas.. e também somos dos poucos mamíferos que não comem a placenta depois do parto (embora ultimamente até tenha ouvido uma história ou outra...!) ou os excrementos da cria... há muitos muitos anos atras quando éramos macacos também o fazíamos!!.. mas depois evoluímos para esta coisa chamada Humano e alguns hábitos perderam-se...

      Eliminar
    17. e tambem somos os unicos seres vivos a destruir completamente o nosso lindo planeta

      Eliminar
  21. Por aqui vamos com quase 2 aninhos de "amormentação" (não é um termo meu, mas tomo a liberdade, pois diz-me mt). Será até que ele queira, pois sou a favor do desmame natural. Não tem sido fácil...mas vale a pena e Adoro! Por todas as razões e mais algumas, que não vou aqui enumerar, mas que quem amamenta sabe; se bem que cada mãe terá as suas razões e motivações. Respeito todas as opiniões, e quem decide não amamentar. Agradeço que também me respeitem e ao meu filho...já me incomodaram mais os comentários menos bons; fui aprendendo a ignorar :) Obrigado pela partilha: fotos lindíssimas. Xana

    ResponderEliminar
  22. Isto tira-me do sério!!! Mas porquê que temos de andar sempre a defender a amamentação quando é a situação NORMAL!!! Não devia ser preciso faze-lo continuamente! A mim choca-me ê na creche da minha filha onde estão 8 bebés entre os 6 meses e os 10 meses, somente a minha filha mamar. Isso sim é chocante, mas toda a gente acha normal.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que me choca a mim é o seu comentário. O que é que lhe interessa a vida das mães dos coleguinhas da sua filha? Sabe os motivos delas? Quer um prémio pela sua filha ser a única da turma a mamar??
      Por amor de deus gente!! O que não falta pela Internet/mundo fora é informação sobre a amamentação, se alguém decide não o fazer que temos nós a ver com isso?
      A mim também me choca o facto de as crianças irem para a creche antes dos 12M e não é por isso que desato a ridicularizar o facto de haver mães que só não os põe logo na 1a semana porque não podem --'
      Detesto este tipo de comentários, estamos todas no mesmo barco, certo? É que às vezes parece que não!

      Eliminar
    2. É isso Filipa...mais sister love e menos mummy shaming!

      Eliminar
    3. E a Filipa disse tudo !

      Eliminar
    4. Ora ai está! É aceitavel e muito defendido a mãe fazer o que bem lhe apetece (o que não me oponho), contudo dar de mamar é que é a aberração. Da mesma forma que é naturalmente aceite a mãe não querer (não escrevi nao poder) dar de mamar também não devia ser necessário andar sempre a defender a amamentação. O que é natural (ainda que possa não se seguido ou aceite) é a amamentação. E por isso o olhar reprovador, ou as questões/conselhos idiotas, relativamente à amamentação deveriam ser utilizados para quem segura um biberão. Não me venham dizer que é normal a reprovação para quem dá de mamar mas para quem dá biberão não!

      Eliminar
    5. Gostava de poder medir a quantidade de comentários (positivos ou negativos) feitos a mães que a mamentam versus maes a dar um biberão. Nunca vi ninguém fazer comentários às mães que dão biberão, no entanto no que diz respeito a mamas todos mandam a sua boquita.
      Concordo em absoluto com o comentário inicial.

      Eliminar
  23. Olá Joana! Quando engravidei nunca fui em fundamentalismos. Mas quando vi aquela pequenina em cima de mim e a agarrar-me na mama... tive a certeza de que queria amamentar!
    Infelizmente, ela não sabia mamar. O apoio das enfermeiras e as suas dicas eram diferentes de turno para turno e muitas vezes contraditórias.
    Quando fomos pela primeira vez ao médico fui proibida de amamentar 24h. Tinha as mamas em ferida, mas suportava as dores para que ela mamasse. Foram dias de mama e biberão. Mas ao fim de três semanas o leite secou. Do nada. Sem problema, sem sinais.
    Chorei, chorei e chorei. Talvez mais do que quando tive de lhe dar suplemento... depois percebi que o nosso vínculo não passava pela mama.
    Mas adoro ver mães a amamentar! Tenha a criança 1 mês ou 3 anos. É uma experiência única e que traz muitos benefícios.
    Mas aproveito para perguntar, ainda que não tenhamos nada com isso - como é que a amamentação influencia a sexualidade do casal? Fica a sugestão para um post :)
    Adoro o vossl blog! Keep going :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estive exatamente na mesma situação: a minha princesa não sabia mamar, conselhos das enfermeiras sempre diferentes, mamas em ferida, leite secou assim, sem mais. A amamentação materna é a melhor para o bébé, sem dúvida, mas, infelizmente, nem sempre isso é possível, por várias razões. E há mesmo quem não o queira fazer, por opção, também por várias razões. Quem amamenta, quem não amamenta porque não pode, quem não amamenta porque não quer: nenhuma das situações deve ser recriminada, é pessoal demais para isso.
      Em relação a amamentar até tão tarde, a mesma coisa, nada a recriminar. Se mãe e filha querem, é o normal e natural acontecer :).

      Eliminar
  24. Amamentei a minha filha até aos 27 meses e estava grávida de 5 meses e só não foi mais porque ela deixou de querer. Agora a irmã nasceu e não voltou a pedir mas a mais nova tem 1mes e 25 dias e é amamentada e será até querer. Mama não é só alimento, é conforto, segurança, mimo, carinho,amor. Ah, e criança mais desenrascada, despachada, que se dá bem com toda a gente e nada estranhos é a minha... É pasme-se só irá para o infantário em Setembro, tendo nessa altura quase 3 anos, benditos avós 😊 imagine o que ouço LOL

    ResponderEliminar
  25. Amamentei a minha filha até aos 27 meses e estava grávida de 5 meses e só não foi mais porque ela deixou de querer. Agora a irmã nasceu e não voltou a pedir mas a mais nova tem 1mes e 25 dias e é amamentada e será até querer. Mama não é só alimento, é conforto, segurança, mimo, carinho,amor. Ah, e criança mais desenrascada, despachada, que se dá bem com toda a gente e nada estranhos é a minha... É pasme-se só irá para o infantário em Setembro, tendo nessa altura quase 3 anos, benditos avós 😊 imagine o que ouço LOL

    ResponderEliminar
  26. Muitos muitos parabens! Nao sei se irei chegar aos 3 anos mas desde que engravidei e tive a minha pequena que ouço opiniões sobre o tema... e se cada um se metesse com as suas mamas? :) Joana, as fotos estão lindas, muita força nisso!

    ResponderEliminar
  27. "Querer que a Irene tenha mãe suficiente"!!!!
    O que é isso? Mamar aos três anos é ter mãe suficiente? E aos quatro? E porque não cinco?
    Juizinho mas é

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exato! Este post é tudo menos sobre amamentação!

      Eliminar
    2. Exacto. Porque não aos 9 anos ou aos 10? Nessa altura já será mãe suficiente?

      Eliminar
    3. Ahah Lamento que tenham interpretado dessa forma, mas realmente é suceptível dessa interpretação (apesar das ressalvas, claro). O "ter mãe suficiente" surge aqui não como um conceito claro para quem leia e não me conheça ou a minha história de vida. É mais abstracto.

      Eliminar
  28. parabens mae valente eu tenho 69 anos e mamei ate aos 3 anos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agora até me ri. Li "de raspão" e o que li foi: "eu foi até aos 69 anos".
      (Não me admirava, depois deste texto e do que li por aqui. Afinal será até eles quererem e para reforçar a ligação, e até aos 69 anos nem me parece muito).
      Depois li melhor e vi que me enganei. Mas que seria interessante seria.
      Senhoras, há por aí alguém que tenha amamentado até aos 10 anos? e aos 15?
      E depois dos 18? Alguem?
      Seria interessante estudar isso. Quem ainda dá a crianças de 10-12 anos ou mais (ponho 10-12 anos, porque parece-me obvio que abaixo desta idade de certeza muitas ainda devem dar).

      Eliminar
    2. O desmame natural dá-se entre os 2 e os 5 anos (por norma). Eu sou 100% a favor da amamentação mas acho que mais do que 6anos (já a dar uma margem) é só esquisito e desnecessário.

      Eliminar
  29. Parabéns pela atitude!Também amamento a minha filha, que tem 3 anos e 3 meses, com muito orgulho 😊! E irei continuar a amamentar até que ela queira e/ou até que o meu instinto diga o contrario! É um momento único e só nosso... Obviamente que neste fase, não tem benefícios nutricionais, mas é um miminho, é um aconchego....que só quem passa por isso é que compreende! ❤

    ResponderEliminar
  30. Adoro este post!!! Tambem amamentei o meu filho ate 2 anos. So as maes que amamenteram muitos anos conseguem perceber o laco entre crianca e a mae atraves da amamentacao. E magico...Tenho muitas saudades!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "So as maes que amamenteram muitos anos conseguem perceber"?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!!??!?!?!? Eu amamentei o meu primeiro filho um mês e o outro durante 1 ano e meio e não há diferença absolutamente nenhuma no "laço" que se criou... Como disseram em cima "juizinho mas é"!

      Eliminar
  31. Por acaso já ando a ficar fartinha com os comentários que já começo a ouvir por ainda dar maminha ao 19 meses. Podia estar aqui a dar exemplos de vários artigos e estudos que explicam e demonstram que nós é que estamos a fazer o correcto, mas não vou fazê-lo.
    Só quero dizer:
    Helllloooooo a maminha é minha e a filha também,OK?! Agradeço que não se metam na minha vida porque eu até sou daquelas pessoas k não me meto na vida alheia.
    Só quem o faz entende o porquê. Viva a nós mamãs que temos poder de encaixe para ouvir tanta barbaridade e mesmo assim continuamos na "luta".
    Beijinhos a todas.
    RB

    ResponderEliminar
  32. É quê uma mãe pode prejudicar um filho por amamenta_lo? Sabiam que bebe ingerer leite de vaca que foi concebido para um bezerro tem mais probalidades de desemvolver doenças tais como a diabetes e a hipertensão? Minhas senhoras amamentem seus filhos...se o poderem fazer...É saudavel, barato e humanamente natural.. ha alguns anos atrás, esteve muito na " moda " o leite artificial...tudo por causa das grandes empresas que o fabricam...com a crise voltou a ser mais frequentemente o leite materno...o pediatra da minha filha, aconselhou a amamentação até ao máximo que conseguisse... ja vamos nos 2 anos. E é para continuar até que ela queira..Se fosse ligar a comentários, ja lhe tinha tirado a mamã aos 4 meses...

    ResponderEliminar
  33. Que lindo! Que magnífico! Que mágico!
    "Não é normal, mas é natural", percebo-te tão bem... ainda não cheguei a essa idade, aqui temos 13 meses de maminha, mas não me imagino a que seja de outra forma! É tão nosso, tão grandioso, tão delicioso, tão tudo, que eu acho que amamentava até todo o nosso sempre!
    "Ainda tens maminha?", é o que mais oiço, com um tom quase depreciativo ou de julgamento, não ligo, eu é que sei!
    Beijo grande às duas, amei o texto, obrigada *

    Nem li os comentários, não me apeteceu ler alguma coisa menos agradável...

    ResponderEliminar
  34. Parabéns! Que cada vez mais volte a ser normal (já vai sendo mais)! :) É com atitudes destas que lentamente se mudam mentalidades! Obrigada pela partilha! :)

    ResponderEliminar
  35. Parabéns pelo post, Joana! Muito obrigada por partilhar sua experiência. É um grande incentivo. Aqui vamos chegando ao nono mês, sem pressa para terminar.

    ResponderEliminar
  36. Não percebo tanta cena à volta da amamentação. Não me choca nem quem não dá nem um dia, nem quem dá até aos 6 anos. É me indiferente. E claro que é normal dar de mamar aos 3 anos! Assim como é normal não dar. lol. Enfim. Se a Joana está a dar de mamar à Irene é porque acha (sabe) que é o melhor para as duas. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, também não percebo o que há a parabenizar ou criticar sobre este tema, nem porque motiva tanto falatório ou motivo de orgulho/sentirem-se super mães...

      Eliminar
  37. Bom dia! Amamento um bebe de 2,5 meses e uma bebe grande de que ase 3 anos! Por vezes ao mesmo tempo! É cansativo, mas o colo da para os dois e o amor (também em forma de leite) é inesgotável!

    ResponderEliminar
  38. Que gente freak...
    É que o que vocês fazem em casa não interessa nada, mas virem para aqui mostrar fotos e armarem-se em melhores mães quando vocês é que nitidamente apresentam carências afectivas não faz sentido mesmo nenhum.
    Fomentem a vossa vida pessoal, social e de casal e isso passa-vos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. True. Acho que as histórias por trás destas mulheres davam uma tese de doutoramento em psicologia...

      Eliminar
    2. Concordo totalmente. É uma novela isto.

      Eliminar
  39. Olá Joana!! Muitos Parabéns pela iniciativa de falar e mostrar fotos de um assunto ainda tao polêmico.
    Eu dou mama á 23 meses e não quero parar.. quero que seja ele a decidir quando não quer mais.
    Muitas vezes já equacionei a possibilidade de secar o leite e parar a amamentação motivada pelos comentários alheios de quem não sabe, muitas vezes, sequer o que é ser mãe, depois lá ponho a mão na minha consciência e pergunto-me se é isso que eu realmente quero e se é o que o meu filho quer. A resposta claramente que é um Não. Eu estou bem, ele adora. Também não ofereco, ele pede, ainda não se esquece.
    Penso sim muitas vezes o quão difícil seria fazer o desmame á bruta. Quando ele está com a birra do sono faz questão de mamar e muitas vezes tem pressa e não quer esperar para chegar ao quarto dele (único sítio onde lhe dou mama, porque "com esta idade" confesso que não me sinto confortável em amamentar publicamente e também porque quer que ele associe a amamentação a um momento tranquilo e de relaxamento antes de dormir)
    Bem haja a todas as mães que continuam a amamentar (todas que o fazem, sabem que é uma tarefa difícil nos primeiros meses) contra tudo e contra todos!!
    Espero continuar a amamentar o meu filho até ele querer!
    Beijinho

    ResponderEliminar
  40. Peço desculpa mas mesmo apoiando a amamentação, já não acho normal que uma criança com mais de 3 anos ainda seja amamentada.

    ResponderEliminar
  41. Mais do que os fundamentalismos da mama (que isto melhor ou pior cada um faz o que quer), para mim o melhor é mesmo: "ele/a mama até quiser"!! Acho um deleite!! Estamos a criar pequenos seres que há mandam nas mamas das mães... juizinho! Enquanto pais, nos e que decidimos o que é melhor para os filhos. Não são os filhos que decidem o que é melhor payaveles com 2 anos de idade.... depois admiram-se de termos crianças que mandam nos pais...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelo menos a Joana é coerente: a Irene decide tudo: mama ate querer, acorda qd quer, so tira as fraldas qd quiser...

      Eliminar
    2. Menos com a opção de ter a vida exposta na internet e estranhos a opinar. Isso é tudo escolha da mãe!

      Eliminar
    3. Epa não queria ser má mas concordo com o anónimo das 18:51

      Eliminar
  42. Eu acho que qualquer companheiro se sentiria um pouco "esquisito" por ver esta situação. Porque como a Joana disse, a situação continua porque ela quer e não pelas necessidades da filha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porquê? As mamas têm de ser devolvidas ao companheiro?

      Eliminar
    2. Não. Mas colocando me no papel do homem/mulher, o que for, não me sentiria confortável com esta situação.

      Eliminar
    3. Então não diga que "qualquer" se sentiria. Alguns. Outros nao.

      Eliminar
    4. Humm pois que eu digo o que quiser! E a minha opinião, não gosta não leia.

      Eliminar
  43. Parabéns pela coragem de amamentar. E parabéns ás mães que não amamentam, porque estar sempre a lavar biberons também é uma trabalheira! Parabéns a todas as mães, porque ser mãe é ser amor! Vamos amar os nossos filhos e guardar um pouco para os outros também! Cada mãe cuida à sua maneira, mas todas nós amamos da mesma forma. Um bem haja para todas as mães! As que amamentam pouco, as que amamentam muito e as que aleitam de outra forma! E para quem está farto de ouvir críticas sobre a amamentação, respondam como uma colega minha "este vai deixar de mamar quando mamar nas mamas de outra!" ahahahahah Vivam as mães e vivam as crianças! e os pais também!

    ResponderEliminar
  44. Três anos de Irene e três anos de Mãe Joana trouxeram uma transformação enorme sobre a Joana que li quando vocês começaram este blog e que me chocou profundamente e infelizmente levou-me a rotular-te como "fundamentalista das mamas - mantêm-te longe!" É bom e apaziguador ver como o teu contributo para a amamentação (da qual sou defensora, mas apenas como forma natural e saudável de alimentar, não tanto como vínculo afectivo - tenho um Mundo de outras formas de me vincular com os meus filhos que não passam pela amamentação) é tão mais bonito agora, à tua maneira.
    Estamos sempre a crescer, que bom, beijinho e toda a felicidade para vocês

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sério? Pois eu li isto e pensei que era uma regressão enorme, esta coisa do dar de mamar para assegurar que a Irene "tem mãe suficiente". NADA saudável, desculpem-me...

      Eliminar
    2. Sou a favor da amamentação, quando se consegue, sim porque há mulheres que praticamente não têm leite e não é porque não queiram amamentar! E essas como ficam? Super criticadas por a sociedade que exigem e as condenam!... Neste caso ninguém fala? Sim criticadas até pelas "super mães" que amamentam, não passei por isso pessoalmente, mas sim uma amiga que se sentia culpada por não estar a amamentar! O bebé não mamava, nem com bomba o leite saía, alimentavava-se bem e bebia muita água e nada de leite! E não foi por não amamentar que não criou laços fortíssimos com o seu filho! Portanto sou a favor da amamentação quando é para alimentação do bebê e não por fragilidades da mãe e mais na natureza os animais mamam até conseguirem alimentar-se sozinhos! Depois a própria mãe os afasta! Vi isto com gatos, cães e que eu saiba com todos os animais, não são as crias que decidem mas sim as mães!

      Eliminar
  45. Por este lado, uma Raquelita de 21 mesinhos que ainda mama... :) E continuará até não querer mais :)

    ResponderEliminar
  46. Cada um faz o que entende melhor.
    Para mim achar que um filho tem mais mãe porque o amamenta até aos 3, 4 ou 5 anos é um bocadinho alucinação. Os vínculos são criados de diversas formas e não dependem em nada da amamentação ou de esta ser até tão tarde.
    Defendo a amamentação como alimento de preferência ao bebé (por isso amamentei), nunca como elo de ligação físico/emocional.

    E quanto a terem aqui mencionado em "devolver as mamas ao parceiro"... Lá está cada vive a sua sexualidade como entende, mas será que a boa parte dos maridos não causa transtorno a ideia de envolvimento sexual (as mamas são sexuais) com a visão dos filhos já grandinhos a ainda mamar?




    ResponderEliminar
  47. Joana, a minha filha tem 2 anos 2 meses... e ainda mama (a noite...durante a noite 1 a 2x, depende das vezes q acordar) e de manhã não sempre...
    Quis muito manter a amamentação, mas não forcei... e se passo o dia em casa com ela e ela pede durante o dia também dou maminha. Ela gosta tanto, porquê negar-lhe isso?
    Mas também sempre acreditei que a amamentação tem de ser prazeirosa para ambos os lados... e as vezes não o é para mim. Principalmente de madrugada (quando ela acorda e depois demora a largar a maminha e eu tou cheia de sono), e também porque... confesso... as vezes gostava que ela fosse menos dependente de mim para adormecer a noite e aceitasse o pai ou os avós (estes ainda aceita mais que o pai :( ).

    De resto, também oiço comentários do genero "ela ainda mama? ai Joana já não precisa nada disso", "isso é vicio", "já ta crescida", "tens de lhe negar nem que ela chore um bocadinho" - as vezes quando estou muito cansada e com sono de madrugada recuso, e arrependo-me logo de seguida, mas ainda forço e não resulta... acabo por ceder ou quando cede ela, pede-me um biberao de leite ou que lhe coce as costas até adormecer.

    Portanto calma e segue como o teu coração manda. eu terei tentar calma também, mas não sei se irei aguentar até aos 3 anos, porque me sinto cansada.

    Beijinhos.

    És uma guerreira!

    ResponderEliminar
  48. https://www.facebook.com/tendavermelhagravidezeparto/posts/1916883365263633

    ResponderEliminar
  49. Só acho "normal" enquanto for para suprir necessidades alimentares da criança e não afectivas da mãe... todavia, apesar de não concordar e de achas estranho não critico porque cada um sabe de si....

    ResponderEliminar
  50. Estes posts da amamentação são sempre óptimos para o negócio, é comentários e pageviews com fartura!

    ResponderEliminar
  51. A mim o que me parece sinceramente é que a mae é q precisa de amamentar e nao a filha de mamar... talvez ajuda psicologica fosse positivo

    ResponderEliminar
  52. PESSOAL: petição para banir a expressão "maminha", quem se junta????

    ResponderEliminar
  53. Com tantos comentários só uma questão não foi levantada: mas 3 anos após o nascimento ainda se tem leite?????? Acho estranho, mas sou só eu. E sim: JG é melhor procurar ajuda...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há leite enquanto houver estímulo. :) Todos precisamos de ajuda por algum motivo e é útil pedi-la. <3

      Eliminar
  54. Gostaria de oferecer ajuda terapêutica GRATUITA a todas as criancas que venham a sofrer de perturbações psicológicas/emocionais por excesso de colo, mama e vínculo. Dou as mesmas condições para adultos que ja se encontrem perturbados por tamanho excesso cometido por seus pais!
    Para aqueles que sofrem de depressão, fraca auto-estima, falta de amor proprio, agressividade, déficit de atenção, hiperactividade, relações abusivas, distúrbios alimentares, vícios, ataques de pânico ou outras POR FALTA desse mesmo amor incondicional, vínculo parental, amamentação e colo, as consultas têm o valor de €40. Ao vosso inteiro dispor Susana Galvão Gomes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Susana,daqui fala uma médica que também lhe ofereçe umas consultas gratuitas.Sou médica,especializada em Psiquiatria e posso com todo o gosto ajudá la Susana.Pela forma como fala e do que escreve e mesmo sem a conhecer,precisa e rápido de ajuda.
      Já lhe deixo a morada.
      Um beijinho e força.
      Ás vezes fazer amor ajuda a deixarmos as nossas frustrações de lado.
      Maria

      Eliminar
  55. Há gente tão estupida que até dói de ler!! Cada um faz o que quer com o seu corpo e com os seus filhos! Eu mamei até aos 4anos! Tenho excelentes memórias da sensação de carinho e amor com a minha mãe! Não cresci com nenhum tipo de perturbação nem problema! Se cada um se dedicasse a amor e cuidar dos seus tanto como a odiar e criticar a Joana haveria certamente muito mais crianças felizes!!

    Acho lindo que continues a querer amamentar, a Irene pode não crescer mais ou melhor por isso mas com certeza crescerá mais "aconchegada" por te ter só para ela durante o vosso momento! Infelizmente só amamentei até aos 7meses, devido a problemas de saúde, mas tenho tanta pena de nao o ter podido fazer!
    Ainda recordo o cheiro e o toque da pele da minha mãe, com certeza a Irene vai ficar com memórias assim também, e acredita que é muito bom! 😊

    Beijinhos e muita coragem para continuar a lidar com os preconceitos e falta de noção de tanta gente idiota!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É por causa de comentários de merda destes "...a Irene pode não crescer mais ou melhor por isso mas com certeza crescerá mais "aconchegada" por te ter só para ela durante o vosso momento!" que depois levam com o azedume.

      A sério: parem com isso. As crianças aconchegam-se com e sem mama, tem toque com e sem mama, têm mimo com e sem mama, têm momentos a só com e sem mama. E há crianças que têm mama e não têm o resto. Wake up people.

      Assinado: pró-amamentação até nos apetecer seja 1 dia ou 10 anos e veementemente contra pessoas que acham que as mamas são a última coca-cola do deserto.

      Eliminar
    2. Nunca em momento algum disse que SÓ as crianças que são amamentadas até tarde são aconchegadas/mimamadas/tocadas ou amadas! Mas que cria memórias isso sim! Apenas amamentei até aos 7 meses, infelizmente, gostaria de ter amamentado mais! E obviamente que não é por isso que a minha filha é menos amada/cuidados ou aconchegada que a Irene ou outra criança qualquer, mesmo do que as que nunca foram amamentadas!
      Se foi um incômodo ler o meu comentário peço desculpa!
      Um bom fim de semana

      Eliminar
    3. Clap Clap Clap anónimo!

      Eliminar
  56. Porque é que as pessoas com uma opinião e experiência diferente da sua são estúpidas? Se o texto está público, tal como as fotos, está sujeito a ser comentado, positiva ou negativamente. Ou os textos são abençoados e só se podem dar opiniões na mesma linha de pensamento? Tenha paciência.

    Filipa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem toda a razão! Realmente o texto e público com direito a opinião! Mas quem publica uma crítica construtiva ou destrutiva com a agressividade que muitas das pessoas que aqui publicam fazem não pode estar muito normal e precisa destes blocos de comentários para descomprimir!
      A estupidez a que me referi foi a essa!
      Não queria que se sentisse ofendida...mas pelos vistos! Opiniões a parte......bom fim de semana!
      Quando sentir necessidade de comentar algo vou fazer mais atenção a escolha das minhas palavras!

      Eliminar
  57. Já me ri bastante! Concordo com o/a "Anónimo", não sei qual deles. Não acho normal, de todo, mas cada um sabe de si, como se costuma dizer!

    ResponderEliminar
  58. Jesussss que isto parece tirado de um excerto de um qualquer documentário sobre cabrinhas e vaquinhas da BBC vida selvagem...... tanto psicólogo no desemprego com tanto/a alucinado/a por aí... ler determinados comentários é melhor que ir ao standup...............

    ResponderEliminar
  59. Olá Joanas, sigo o vosso blogue há relativamente pouco tempo, e é a primeira vez que comento. Gosto muito de ler aquilo que partilham da maneira como vivem a maternidade, principalmente por me rever em muito nas coisas pelo qual lutam diariamente. Mas por vezes dou comigo a pensar, porque é que elas expõem tanto das suas vidas (principalmente quando leio certos comentários)? Penso nisso quando leio que a JG amamenta a filha de 3 anos, quando a JPB fala como foi viver com os pais e deixou o trabalho que tinha (no entanto tenho a certeza que continua com bastante trabalho entre mãos!) para se dedicar mais às filhas, quando leio sobre a JG ter-se separado, etc... Isto porque eu também amamentei as minhas pequenas até terem mais de ano e meio, também voltei à casa dos meus pais já com uma filha e com o meu marido a trabalhar a 300Km de distância, e também sei que as relaçóes são complicadas e não devem de haver assim tantas que sejam perfeitas. No entanto, muitas vezes senti vergonha de falar de todas estas coisas que faziam parte da minha vida e das minhas escolhas, e preferi não falar, assim evitava julgamentos com os quais não me apetecia lidar. Mas quem cala não muda mentalidades. E vocês falam de tudo isto, e quero acreditar que devagarinho vão mudar mentalidades, mesmo muitas daquelas que agora criticam-vos. E é por isso que queria aqui deixar escrito que admiro o que vocês tentam fazer com este blog, e que espero que continuem a fazê-lo. Sei que nem tudo é altruísmo, que também retiram muito do facto de tanta gente ler-vos, mas com isso também vem algum poder e responsabilidade, e penso que estão a usar tudo isso da melhor forma. Muitos parabéns por este cantinho na internet! E desculpem lá o comentário longo!:)

    Helena

    ResponderEliminar
  60. Ès linda, linda por perceber e ter a sensibilidade da necessidade de amor ao seu filho, não sei com que idade, mas a minha com 5 ainda tem esta necessidade, desta transmissão de amor, afeto, equilíbrio, de encontro próprio, de "meu ninho", "de local seguro", de encontro fraterno de olhares, de amor além da vida, de algo que só eu e vc, e mães que amamentam conseguem dizer. È muito? Talvez nem seja, pois 3 anos amamentando ou 5, não acredito que vá muito para a barriguinha deles, mas o suficiente para a saúde,a dose certa.Mas nunca é demais o que conseguimos transmitir do nosso coração para o deles. O ministério da saúde contesta tempos de amamentação. Mas quem manda somos nós e não há limetes de tempos para amar da maneira que nos convém e queremos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agora vamos ler de novo, só que com um violino a acompanhar.

      Eliminar
  61. Amamentei quase até aos 4 anos e adorei, se há coisa de que tenho saudades e de amamentar a minha pequenina.

    ResponderEliminar
  62. Estou de queixo no chão com a palhaçada de comentários que vi aqui dos prós e dos não prós amamentação após determinada idade! De ambas as partes vi constantes faltas de respeito e mesmo violência verbal/psicológica com a parte contrária. Vi mães a abrirem os seus corações e partilharem a sua intimidade familiar e a seguir vi gente a chamar-lhes tudo e mais alguma coisa. CRUELDADE!!! DE AMBAS AS PARTES! DOS PRÓS E DOS CONTRA! Mas já não se sabe fazer críticas construtivas?!!! Ps: houve algumas críticas que sim, que foram construtivas, apesar de serem contrárias ao que defendo e acredito - mas sim, foram construtivas porque foram feitas de forma educada, correcta é fundamentada e que me fizeram reflectir numa perspectiva diferente da minha apesar de não a ter alterado. Contudo a maioria do que aqui foi comentado foi puro lixo!!!

    ResponderEliminar
  63. Joana, parabéns pela partilha. Tenho uma filha com quase 3 anos que passa as noites na minha maminha (para vocês que estão a ler: é claro que estou a exagerar! a rapariga dorme e eu também. mas nalgumas noites precisa de mamar várias vezes...). Já ouvi muitos comentários infelizes (não tantos como aqui neste post, confesso! há gente que vive mesmo muito afastada da Natureza, é a única explicação...)...
    O que me deixa perplexa é pensar que vivemos numa sociedade onde é "um crime" deixar que a minha filha de quase 3 anos adormeça na minha mama, mas seria "normal" dar-lhe umas colheres de atarax para que controle a ansiedade e durma sem problemas... seriously??

    ResponderEliminar